Recent Posts

Saiba tudo sobre a Conjuntivite

Aprenda os sintomas, o tratamento e como se prevenir da conjuntivite

Catarata

Saiba como é a cirurgia da catarata, quais os riscos e complicações

Ceratocone

Tudo sobre o tratamento do ceratocone. Anel de Ferrara, Crosslink de córnea, Lente de contato e até Transplante de Córnea

Você precisa de Óculos ?

Faça um teste online simples e rápido e descubra se você tem miopia, hipermetropia ou astigmatismo

Visite nossa seção de vídeos

Veja nosso vídeos sobre cirurgia de miopia, de catarata, de retina, de ceratocone e muito mais

Hipertireoidismo e o Olho: Proptose na Doença de Graves

Hipertireoidismo é uma doença na qual a glândula Tireóide (ou tiróide) está secretando uma quantidade de hormônio tireoidiano acima do normal.


Os sintomas do hipertireoidismo são:

- tremores nas mãos,
- batimentos cardíacos acelerados (taquicardia),
- perda de peso importante,
- sede e fome exagerados,
- irritabilidade, agitação, ansiedade, suor excessivo
- proptose ou olho esbugalhado (exoftalmia)
- Aumento de tamanho da tireóide que pode ser notado como um abaulamento na região do pescoço (chama-se isso de bócio)

Bócio
Uma das causas mais comuns de hipertireoidismo é a chamada Doença de Graves. Nessa forma de hipertiroidismo os olhos são um dos orgãos mais afetados. Em alguns casos, o primeiro sinal da doença é a alteração ocular, só depois é que aparecem os sintomas citados acima. Essas alterações nos olhos em decorrência da doença da tireóide nós chamamos de Oftalmopatia de Graves.
Mais da metade dos pacientes que apresentam doença auto-imune da tireóide apresentam alterações oculares.
Sintomas oculares do Hipertireoidismo (Doença de Graves)

- Proptose ocular ou "olho esbugalhado" ou exoftalmia: é o sinal mais típico e caracteristico. Proptose significa que o olho está para fora, ou seja, está mais saltado da órbita, parecendo que está com o olho grande . A proptose ocorre porque os músculos e a gordura que ficam atrás do olho se inflamam e ficam maiores do que o normal, empurrando o olho para fora. Qualquer pessoa que apresente esse sintoma deve investigar doença da tireóide, mesmo que não apresente os sintomas acima.

- Lacrimejamento excessivo, sensação de ressecamento, irritação com a luz (fotofobia), dor ocular e vermelhidão nos olhos são outros sintomas da doença e são todos decorrentes da proptose dos olhos.
- Aumento da pressão ocular, que muitas vezes não causa sintoma nenhum mas que precisa ser medida pelo oftalmologista e tratada com colírios se estiver alta demais.
- Estrabismo (vesguice) e visão dupla (diplopia) também podem ocorrer
- Dados como a presença de dor quando movimenta os olhos e inchaço da pálpebra e da conjuntiva significam que a doença está na sua fase inflamatória e mais aguda.
- Em casos mais graves pode haver compressão do nervo óptico e levar a diminuição da visão e até a cegueira total e irreversível. 

Diagnóstico do Hipertireoidismo

Geralmente é feito por exames de sangue, com a dosagem dos hormônios TSH e T4. Em alguns casos um ultrassom da tireóide é necessário para estabelecer a causa da doença

Diagnóstico da Oftalmopatia de Graves

doença de graves, hipertireoidismo
Proptose, edema da pálpebra e vermelhidão dos olhos
O diagnóstico é clínico, mas um exame chamado exoftalmometria é útil para medir o tamanho dos olhos em relação a órbita e para acompanhar se está havendo aumento ou regressão da proptose, inclusive depois de iniciado o tratamento.
Exoftalmometria - Mede o tamanho da proptose
Os exames de ultrassom ocular e ressonância magnética avaliam o estado dos músculos oculares. Quando esse músculos estão com inflamação significam que a doença está na fase ativa e que o tratamento é necessário e apresentará boa resposta. Se os músculos mostrarem fibrose significa que o tratamento já não adiantará muito e a doença está numa fase mais avançada.
Músculos oculares inchados e inflamados na doença de graves.
Note como isso faz o olho "saltar" para fora da órbita
Tratamento do Hipertireoidismo 

Resumidamente o tratamento do hipertiroidismo pode ser feito com medicamentos, radiação ou cirurgia, dependendo da causa e do estágio da doença.

Tratamento do Hipertireoidismo Ocular ou Oftalmopatia de Graves

Antes e mais importante de tudo, é necessário tratar clinicamente o hipertireoidismo, com medicamentos orais.
O que trataremos mais profundamente aqui é o tratamento das alterações oculares.

Para casos leves da Oftalmopatia de Graves
- Colírios e pomadas lubrificantes ajudam a diminuir a sensação de ressecamento, a fotofobia, a vermelhidão e dar um maior conforto ao paciente
- Dormir com a cabeceira elevada pode ajudar a reduzir o inchaço (edema) das pálpebras

Para casos graves, aonde há compressão do nervo óptico, doença dos músculos e risco de cegueira
- Radioterapia ocular: é aplicada só na região dos olhos e com baixa dosagem. É um tratamento seguro e ajuda a reduzir a proptose
- Corticóides:  Podem ser usados por via oral (comprimidos) ou via venosa (injeções). São muito utéis e com uma boa ação mas podem ter alguns efeitos colaterais. Esses medicamentos funcionam na fase inflamatória da deonça.
- Imunossupressores: Medicamentos como ciclosporina, azatioprina, ciclosfosfamida e clorambucil são imunossupressores potentes e que podem ajudar a controlar a oftalmopatia de graves. São reservados para casos mais graves e resistente aos outros tratamentos. Assim como os corticóides, esses medicamentos funcionam na fase inflamatória da deonça.
- Cirurgia: A principal cirurgia para o hipertireoidismo que atingiu os olhos e causou proptose é a cirurgia de descompressão da órbita. Quando o nervo óptico está comprimido pelo aumento do globo ocular é feito essa cirurgia para aliviar a pressão sobre o nervo e evitar a perda irreversível da visão, principalmente na fase fibrótica da doença.
A cirurgia para proptose, com o único objetivo de diminuir o tamanho do olho, é bem difícil e controverso. Se não tiver compressão do nervo óptico muitos médicos não indicam essa cirurgia pelos riscos que ela pode trazer.
Outras cirurgias podem ser feitas para correção do estrabismo, correção da retração palpebral ou diminuição da pressão ocular.

Saiba mais sobre o aumento da pressão ocular e o Glaucoma
http://www.medicodeolhos.com.br/2010/05/glaucoma-o-que-e-como-dignaosticar-como.html 


Saiba mais sobre ressecamento dos olhos e Olho Seco
http://www.medicodeolhos.com.br/2010/05/olho-seco-o-que-e-causas-e-tratamento.html 

Para saber mais sobre o Hipertireoidismo, o diagnóstico e tratamento, leia o blog MDSAUDE
http://www.mdsaude.com/2010/03/hipertireoidismo-doenca-de-graves.html

Conjuntivite em Crianças

A conjuntivite é uma doença contagiosa, bastante comum e que pode acometer pessoas de todas as idades, inclusive as crianças. A conjuntivite infantil tem algumas diferenças em relação a conjuntivite nos adultos.
Essa matéria é sobre a conjuntivite em crianças e recém nascidos.

Se você quiser saber mais sobre a conjuntivite de uma forma geral. clique aqui e leia o texto. 


criança com conjuntivite

Causas de conjuntivite em crianças

# Conjuntivite em recém nascidos: em crianças muito pequenas (entre 1 e 2 dias de vida) a principal causa de irritação ocular é a chamada conjuntivite tóxica ou química, que ocorre por irritação aos colírios usados na maternidade. Como regra geral, em toda maternidade, os pediatras pingam uma gota de colírio para evitar infecção nos olhos (geralmente colírio de nitrato de prata) e isso pode irritar os olhos, como se fosse uma conjuntivite. É leve e passageira.
# Conjuntivite em crianças de 3 a 7 dias: Nesses casos a principal causa de conjuntivite é infecção por um germe chamada neisseria gonorrhoeae (ou gonococo), e por isso é chamada de conjuntivite gonocócica. É um forma grave, com muitas secreção tipo pus e que precisa ser tratada com antibióticos porque pode deixar sequelas na visão.
conjuntivite gonococia
Conjuntivite gonocócia em criança recém nascida

# Conjuntivite em crianças de 10 a 14 dias: Nessa idade a principal causa de conjuntivite é infecção por um germe chamado clamídia. Embora menos grave que a gonocócia, a conjuntivite por clamídia também precisa ser tratada com urgência e com medicamentos específicos. As vezes pode ser confundida com a conjuntivite gonocócica.
# Conjuntivite em crianças acima de 1 ano: Nesses casos, a principal causa de conjuntivite é a mesma da conjuntivite nos adultos, ou seja, os vírus e depois as bactérias. Em geral, o adenovirus é o mais comum. 

Até os 6 anos uma bactéria muito comum como causa de conjuntivite em crianças é o hemófilos. Em adultos, o hemófilos praticamente não causa problema algum mas em crianças pode causar infecções nos olhos, nos ouvidos, no pulmão...


criança com conjuntivite
Importante lembrar que em crianças também é muito comum a conjuntivite alérgica. Nessa forma de alergia nos olhos, o principal sintoma é a criança ter coceira no olho, mas o quadro pode se parecer muito com a conjuntivite infecciosa, com vermelhidão e secreção. Como o tratamento é totalmente diferente, é importante fazer a diferença entre a  conjuntivite alérgica e a  conjuntivite viral ou bacteriana. Uma visita ao oftalmologista é fundamental nesses casos.

Sintomas da conjuntivite em crianças

Em geral os sintomas da conjuntivite na criança são parecidos da conjuntivite no adulto. Ou seja, sensação de areia nos olhos, ardência, lacrimejamento, olho vermelho, secreção nos olhos (tipo água ou tipo remela), as pálpebras inchadas e as vezes até dor nos olhos.
Crianças pequenas podem não saber se queixar, mas os familiares percebem que a criança mexe mais no olho, a luz irrita, ela não consegue manter o olho aberto, fica com muita secreção etc etc.
As vezes, quando a conjuntivite vem junto com um resfriado pode acontecer febre, abatimento, prostração.... sintomas tipicos de uma virose.


Como a criança pega conjuntivite ? 

A transmissão da conjuntivite ocorre por contato com outras pessoas contaminadas. Ou seja, se a criança tiver contato com outras crianças ou com adultos com conjuntivite poderá se contaminar. Da mesma forma, os adultos (principalmente os pais, os avós e a babá) que tem contato próximo com a criança correm um grande risco de pegar a conjuntivite.

Como evitar pegar conjuntivite ?

A higiene é o mais importante. Algumas medidas a serem tomadas são:
- Evitar beijos, abraços ou contato mais próximo com seus filhos se você ou ele estiverem com conjuntivite
- Evitar qualquer tipo de contato (até aperto de mão) e não compartilhar objetos (toalhas, brinquedos, lápis etc) com outras crianças ou adultos com suspeita de conjuntivite

- Lavar sempre as mãos, principalmente depois de mexer nos olhos ou pingar os colírios
- Só usar lenço de papel para limpar os olhos e descarta-lo depois. Não usar lenços de pano

Nas épocas de surto de conjuntivite, os cuidados acima devem ser redobrados.

A criança com conjuntivite pode ir no colégio?

Não. Como a conjuntivite é altamente contagiosa, uma criança contaminada pode passar conjuntivite para a turma toda. A recomendação é que ela fique em casa até obter a cura total, o que costuma acontecer entre 1 a 2 semanas.

Tratamento da conjuntivite para crianças

Em geral, o tratamento da conjuntivite em crianças não difere muito da conjuntivite nos adultos. Deve-se evitar usar antibióticos sem necessidade, procurar sempre o oftalmologista (médicos pediatras não são os mais indicados para avaliar esses casos) e evitar transmitir a doença para outras pessoas.
Não existe um colírio para conjuntivite que seja milagroso e resolva todos os casos rapidamente. Na maioria dos casos só é necessário usar colírios lubrificantes, lavar com soro fisiológico, fazer compressa gelada se o olho estiver inchado e analgésicos se necessário.
Somente nos casos de conjuntivite por bactérias (que são mais raros) é necessário usar antibióticos.
Já nos casos de conjuntivite em recém nascidos por gonococo ou clamídia (ver texto acima) o tratamento é mais severo, devendo usar antibióticos por via oral e em alguns casos até internar no hospital.


Leite Materno é bom para tratar conjuntivite ?
Não! Não é verdade que o leite materno ajude no tratamento da conjuntivite. Não há a menor razão para fazer isso. Se você está com conjuntivite, leia o texto acima com atenção e não use qualquer produto sem recomendação médica, a não ser soro fisiológico a 0,9%

Lembre-se: Não faça auto medicação. Não use colírios recomendados pelo balconista da farmácia ou pelo amigo ou vizinho. Principalmente em crianças. Procure sempre um médico


O CID 10 (código internacional de doenças) da Conjuntivite é H10.0 ou H10.1


Quer ler mais sobre Conjuntivite Alérgica e coceira nos olhos?
http://www.medicodeolhos.com.br/2010/09/coceira-nos-olhos-alergia-ocular.html 

Você sabe a maneira certa de pingar os colírios? Leia esse texto e evite desperdícios e obtenha um efeito melhor

http://www.medicodeolhos.com.br/2010/10/como-pingar-colirios-de-forma-correta.html 



Saiba como diferenciar várias causas de olho vermelho... Será que é conjuntivite ?
http://www.medicodeolhos.com.br/2011/03/olho-vermelho-o-que-pode-ser.html