Recent Posts

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Artrite reumatóide e o Olho

A artrite reumatóide é uma doença autoimune, que afeta o colágeno. Como o colágeno é uma estrutura presente em vários órgãos do corpo, ela pode afetar diferentes órgãos, inclusive o olho. Nesse texto falaremos só sobre as alterações oculares da artrite reumatóide. (Para saber mais sobre as outras alterações da artrite reumatóide, clique aqui e leia esse texto).

As alterações que a artrite reumatóide (AR) pode causar no olho são:

1 – Olho seco ou ceratoconjuntivite sicca (síndrome de sjogren secundária)

Essa é a manifestação mais comum da AR no olho, afetando entre 15 e 25% de todos os pacientes com AR. Quanto mais tempo a pessoa apresenta sintomas da AR, mais fácil apresentar olho seco.
Os sintomas são de queimação, ardência, ressecamento, sensação de corpo estranho no olho, vermelhidão, lacrimejamento excessivo etc. Os sintomas costumam piorar ao longo do dia e especialmente em situações como uso de computador, ambientes com ar condicionado, vento etc.
Alguns exames simples são importantes: Teste da rosa bengala ou lisamina verde e o teste de schirmmer ajudam a fazer o diagnóstico do olho seco.
O tratamento deve ser feito com colírios lubrificantes, às vezes também com imunossupressores tópicos (colírios) de corticóides ou ciclosporina (restasis). (Clique aqui e leia esse texto sobre o tratamento do olho seco para saber mais sobre esse assunto).
Lisamina verde e olho seco
O paciente com AR e olho seco, geralmente também apresenta ressecamento da mucosa oral (dificuldade para engolir, boca seca...) caracterizando a síndrome de sjogren

2 – Episclerite

Episclerite é a inflamação da episclera, que é um tecido fino que reveste a parte branca do olho (chamada esclera). Se manifesta como uma vermelhidão localizada ou difusa do olho. Geralmente não causa dor ou sintomas importantes e melhoram sozinho em algumas semanas. Às vezes podemos usar antiinflamatórios. Pode ser confundida com a esclerite (ver abaixo)


3 – Esclerite

A esclerite é a inflamação da esclera, a parte branca do olho. Ao contrário da episclerite, na esclerite a dor é importante, a vermelhidão é mais intensa e às vezes também há baixa de visão. Um sintoma mais típico é a dor quando movimenta os olhos. A esclerite pode atingir toda (eslcerite difusa) ou apenas uma parte da esclera (esclerite localizada) e pode ser grave a ponto de levar a perda permanente da visão.
O tratamento deve ser imediato, com colírios e comprimidos imunossupressores (corticóides, ciclosporina, metrotexato por exemplo). Uma forma mais grave (e felizmente mais rara) da esclerite é a chamada esclerite necrozante em que o risco de complicações é enorme.
A ocorrência de esclerite em um paciente com AR é sinal de que a doença não está bem controlada e precisa de uma mudança no tratamento sistêmico.




4 – Ceratite ulcerativa

A ceratite é a inflamação da córnea. Na AR ela pode ser leve, decorrente do ressecamento ocular ou uma forma chamada ceratite ulcerativa periférica em que há afinamento da periferia da córnea, levando a distorção da visão e as vezes até a perfuração da córnea e perda do globo ocular. Nas formas mais graves, ocorre junto com esclerite, acometendo a córnea na sua parte mais próxima a esclera e depois seguindo para o centro. Nessa forma pode ocorrer perfuração da córnea, o que é uma urgência médica, precisando de cirurgia imediata. Esse último caso mais grave, geralmente vem acompanhado de uma vasculite sistêmica importante e precisa de tratamento com imunossupressor (corticóide por exemplo) por via oral.

5 – Vasculite retiniana

A vasculite é uma inflamação dos vasos sanguíneos da retina, a parte mais interna do olho. É uma manifestação mais rara. A inflamação ocular é intensa e precisa de tratamento intensivo.

Efeitos colaterais dos medicamentos usados no tratamento da Artirte Reumatóide

Além das alterações que a AR causa diretamente no olho, os remédios usados para tratar essa doença sistêmicamente (comprimidos ou injeções) podem causar alterações oculares.
Os corticóides (prednisona, metilprednisona) por exemplo pode levar a glaucoma e catarata.
A cloroquina e a hidroxicloroquina podem afetar a retina (de forma mais grave e definitva) e a córnea (de forma mais leve). Os pacientes que usam esses medicamentos de forma crônica, devem fazer exames oftalmológicos (fundo de olho, campo visual e teste de cores) com freqüência. A hidroxicloroquina (plaquinol) é menos tóxica ao olho do que a cloroquina.

Se você tem artrite reumatóide não deixe de visitar seu oftalmologista com regularidade. Algumas manifestações são graves e indicam que o tratamento da doença não está adequado. O reumatologista precisa trabalhar junto com o oftalmologista para evitar riscos a visão.

Esse texto também foi publicado no endereço http://artritereumatoide.blogspot.com/2010/11/artrite-reumatoide-e-o-olho.htm. Esse site é feito pela Priscila Torres, de São Paulo, e que portadora de Artrite Reumatóide conta sua história no blog e ajuda milhares de outras pessoas com problemas semelhantes. Se você é portador de artrite reumatóide não deixe de visitar esse blog http://artritereumatoide.blogspot.com


10 comentários:

Esclarecedora a matéria, quando eu tive a episclerite + a neurite ótica, busquei a relação da AR com alterações oculares e não encontrei de forma simples e direta.

Tenho artrite reumatóide, há 4 anos e em Julho de 2009, tive uma neurite ótica, e pelo quadro da neurite, retiraram todos os meus medicamentos da artrite, com 10 dias internada e sem medicamentos para a artrite, a artrite entrou em atividade, tive febre, e derrepente meu olho ficou todo vermelho e a visão de ambos os olhos ficaram bem diminuídas, sem lacrimejar, sem secreção nenhuma, eu esfregava os olhos porque tinha a sensação que estavam colados a pele, chamei a enfermeira e pedi ajuda, de primeiro momento a oftalmo presente ficou confuso de ser conjuntivite ou não, até que no 2º dia de olhos vermelhos e com muita dificuldade para enxergar, chegou no plantão noturno um médico oftalmonologista já idoso, me lembro apenas do cabelinho branco, ele pingou um colírio colorido e me disse assim " menina, você não tem nada de conjuntivite, o que tem aqui é um sistema imunológico pedindo socorro, e isso é por causa da sua doença” foi quando determinaram que se tratava de um episclerite, mas ainda hoje há quem diga que era uma conjuntivite. A nomenclatura, não é tão importante quando temos os 2 olhos vermelhos, com baixa visão, com sensibilidade a luz e com dor, o que queremos é um diagnóstico e o tratamento, me lembro que foi prescrito um colírio para pingar 1 gota em cada olho de hora em hora, depois de 2/2 horas e assim foi aumentando o intervalo até que retirou o colírio, depois disso meus olhos nunca mais foram os mesmos, passaram a ser seco e com a sensação de ter uma pedrinha no olho, sempre incomodando, as vezes me pego esfregando os olhos, após o tratamento a vermelhidão do olho foi diminuindo + meus olhos parecem que tem veias bem pequenas que da pra ver, porém conforme o oftalmo ta normal, meus olhos doem com muita freqüência, tenho bastante sensibilidade a luz, luz de qualquer tipo solar, artificial e usar o computador às vezes é difícil, mas quando estou com os olhos muito cansados eu uso óculos de sol dentro de casa para conseguir usar o notebook sem ardência nos olhos. Hoje faço uso de colírio para lubrificar os olhos 02 ou 03 vezes por dia, piora muito no sol, no verão, no vento. Ir a balada com aquelas luzes de todas as cores se tornou algo complicado, hoje essas luzes me deixam tonta e enxergando muito mais luzes do que realmente tem, por isso evito lugares deste tipo. Enfim... quando sentirem alguma coisa diferente nos olhos, corram para o seu oftalmonologista e após a consulta, peça que o médico oftalmo, faça um relatório para o seu reumatologista falando do exame e dos achados encontro no seu olho, não deixe de fazer isso, é muito importante manter o tratamento em comum acordo com toda a equipe multidisciplinar, dessa forma os médicos podem conversar entre si (mesmo que seja, através de laudos) e tomarem a melhor decisão para te beneficiar. Contem tudo para o seu médico, inclusive as coisas que para você não tem muito sentido, pois eu um bom tempo antes de ter tido essa internação, já observava que no olho esquerdo a cor do esmalte vermelho era quase rosa e no olho direito era vermelha, foram coisas assim, que eu nem me liguei e não havia procurado um médico oftalmo, hoje eu observo melhor meus olhos, pois tive uma perda visual importante no olho esquerdo e qualquer perda no direito pode comprometer muito a minha vida, por isso hoje tudo + tudo que acontece eu conto, mesmo achando que é coisa da minha cabeça.

Dr. Renato,

Olá! A minha pergunta não é sobre esse artigo, eu estou em dúvidas acerca de lente de contanto. Sei que o correto é fazer uma consulta, mas eu comprei as lentes parar usar só de vez enquando, sabe? São lentes coloridas gelatinosas. Sei que a lente é confiável porque conheço várias pessoas que usam a marca sem problema algum. Pois bem, na hora de usar a lente, meu olho incomodou um pouco, fiquei com medo e tirei. Notei um risquinho nela, aí pensei que ela poderia ter rasgado, e joguei fora. Agora comprei outra, e queria saber se eu preciso tomar um cuidado a mais, e se eu posso usar colírio com a lente nos olhos, caso haja vermelidão ou desconforto.

Obrigada pela atenção !

Taty

Leia os textos sobre lente de contato publicado nesse blog
Todas as suas duvidas e outras questoes estão lá
Procure no menu "pesquise por assunto", a direita no alto

Oi, me chamo Ana Paula, tenho 44 anos e tenho artrite reumatóide, meu grau é elevado no direitoLonge -9,5o (esférico) -2,50 (cilindrico) 90º eixo e no esquerdo -6,00 (esférico) -3,50 (cilindrico) e 90º eixo - a minha pergunta é se posso fazer cirúrgia para correção ou se por causa da artrite reumatóide não posso fazer. Obrigada - apcg.casagrande@gmail.com

Ana Paula

Se voce NÃO tiver um olho seco muito severo devido a artrite reumatoide não há problemas em relação à cirurgia de miopia.
Tem que fazer os exames para saber se pelo seu grau elevado é possivel realizar o procedimento com sucesso

Nadia pergunta...

Ola, minha filha tem uma suspeita de doença autoimune, que pode ser sjogren, pois apresenta momentos de olho seco, gostaria de saber se o teste shimmer é feito com olho aberto ou fechado.

Nadia

O exame pode ser feito tanto com o olho aberto quanto fechado

Dr..gostaria muito de uma ajuda, estou desesperada, meu pai uma pessoa que sempre trabalhou e deu duro para nos dar o melhor hoje se encontra em uma posição difícil, a dois anos teve deascoamento total de retina onde perdeu quase toda visão temporariamente enxergava vultos, mas de um tempo pra cá perdeu toda sua visão. Ao retornar ao médico o mesmo preferiu para garantir fazer laser no olho sadio, onde encontrou vários orifícios. Hoje este olho que então era bom e sadio está lentamente aparecendo uma suposta pelezinha ou natinha que parece estar cobrindo o olho. Dr. pelo amor de Deus o que o Sr. nos recomenda? Meu pai já não enxerga de uma vista devido ao tal descolamento, o que será agora neste outro olho, nos ajude. Confio muito em sua resposta. Desde já agradeço muito. Deise.

Deise

o médico fez o correto. Aplicou o laser e impediu de ter um descolamento de retina tambem no outro olho
Quanto a essa pelezinha que vc descreve certamente nao é nada que vá colocar a visao do seu pai em risco

Postar um comentário